A sua imunização contra a dengue só está garantida com as três doses da vacina.

Se você já tomou a primeira ou as duas primeiras doses, procure a unidade de saúde mais próxima para completar a sua proteção.

A terceira etapa da campanha de vacinação contra a dengue acontece de 20 de setembro a 27 de outubro.

Ao se vacinar, você protege você mesmo e toda a comunidade, pois ajuda a diminuir a circulação do vírus.

Descubra a unidade de saúde mais próxima pra você completar seu esquema vacinal contra a dengue.

Digite sua cidade aqui

Dúvidas Frequentes

  • 1. Qual o período de vacinação contra a dengue no Paraná?

    A terceira etapa da vacinação contra a dengue no Paraná acontece de 20 de setembro a 27 de outubro. Duas grandes mobilizações (dias D) acontecerão em 20 de setembro e 21 de outubro, datas em que as unidades de saúde funcionarão em horário especial e equipes volantes vão vacinar em diversos pontos da cidade para facilitar o acesso da população.

  • 2. Qual o público-alvo da campanha?

    A vacina será aplicada gratuitamente em moradores de 30 municípios paranaenses que têm maior risco de dengue e que vêm enfrentando sérias epidemias e mortes pela doença.

    Em 28 deles, a população vacinada abrange pessoas entre 15 e 27 anos de idade, faixa etária que concentra 30% do total de casos de dengue no Estado.

    Em Paranaguá e Assaí, o público-alvo da campanha vai de 9 a 44 anos, porque os dois municípios enfrentaram as piores epidemias do Paraná em 2015/2016. Esses municípios registraram mais de 8 mil casos de dengue por 100 mil habitantes, o que motivou ampliar a faixa etária que será imunizada.

  • 3. Quantas doses são necessárias?

    São três doses, com intervalo de seis meses entre as aplicações. A primeira foi em agosto de 2016, a segunda em março de 2017 e a terceira em setembro de 2017.

  • 4. Estou na faixa etária e ainda não tomei a primeira dose, ela estará disponível?

    Desta vez, deve retornar à Unidade de Saúde somente quem já tomou a primeira ou a segunda doses. Nesta etapa não serão aplicadas primeiras doses.

  • 5. Quais cidades vão receber a vacina?

    • 1. Paranaguá
    • 2. Foz do Iguaçu
    • 3. Santa Terezinha de Itaipu
    • 4. São Miguel do Iguaçu
    • 5. Boa Vista da Aparecida
    • 6. Tapira
    • 7. Santa Izabel do Ivaí
    • 8. Cruzeiro do Sul
    • 9. Santa Fé
    • 10. Munhoz de Mello
    • 11. Marialva
    • 12. Paiçandu
    • 13. São Jorge do Ivaí
    • 14. Maringá
    • 15. Mandaguari
    • 16. Sarandi
    • 17. Iguaraçu
    • 18. Ibiporã
    • 19. Jataizinho
    • 20. Porecatu
    • 21. Assaí
    • 22. Bela Vista do Paraíso
    • 23. Cambé
    • 24. Londrina
    • 25. Sertanópolis
    • 26. Leópolis
    • 27. São Sebastião da Amoreira
    • 28. Itambaracá
    • 29. Cambará
    • 30. Maripá

  • 6. Por que nem todos os municípios do Paraná vão receber a vacina?

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica a aplicação da vacina contra a dengue em municípios endêmicos (onde há circulação da doença). Os 30 municípios escolhidos concentram 80% dos casos registrados no Paraná, 83% dos casos graves e 82% das mortes por dengue (52 dos 63 óbitos por dengue em 2016).

  • 7. Onde será realizada a vacinação?

    A vacinação será realizada nas Unidades de Saúde, universidades, escolas e outros locais selecionados pelos municípios que fazem parte da campanha. Cada cidade define em quais locais a vacina estará disponível e em quais horários.

  • 8. O que devo apresentar para receber a vacina?

    Para receber a vacina é necessário apresentar documento de identificação e comprovante de residência.

  • 9. A vacina da dengue imuniza contra outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, como zika e chikungunya?

    Não. A vacina é indicada somente para a prevenção da dengue causada pelos sorotipos 1, 2, 3 e 4.

  • 10. Existe contraindicação para a vacina da dengue?

    Sim. Não devem tomar a vacina:

    • Gestantes
    • Mulheres que amamentam
    • Pessoas com baixa imunidade congênita ou adquirida
    • Pessoas em tratamento com corticoides em dosagens elevadas e prolongadas
    • Pessoas em tratamento de radioterapia e quimioterapia
    • Pessoas em estado febril
    • Pessoas com HIV/AIDS

  • 11. A vacina causa algum efeito colateral?

    Em geral, a vacina é bem tolerada pelo organismo. Os efeitos colaterais mais comuns são dor, calor e inchaço no local da injeção (aplicada por via subcutânea na região superior do braço). Algumas pessoas também podem apresentar febre e dor de cabeça.

  • 12. Por quanto tempo a vacina protege contra a dengue?

    Desde que foram iniciados os estudos sobre a efetividade da vacina, há seis anos, ela tem demonstrado proteção duradoura após as três doses.

  • 13. Quais cuidados a população não vacinada deve tomar?

    Com a incorporação da vacina em municípios epidêmicos, será possível diminuir a circulação do vírus e proteger indiretamente também as pessoas que não foram imunizadas. Porém, a vacinação não substitui os cuidados necessários para o controle do mosquito Aedes aegypti. Todos devem continuar eliminando recipientes que acumulam água para evitar a infestação pelo mosquito, transmissor de várias doenças.

  • 14. Se eu já tive dengue, posso tomar a vacina?

    Sim, após 30 dias. Mesmo quem já teve dengue e está na faixa etária indicada para receber a vacina nos municípios selecionados deve ser vacinado, porque a reinfecção por dengue aumenta a chance de agravar a doença.

  • 15. A vacina é eficaz?

    A vacina é segura e eficaz, passou por 20 anos de pesquisas e estudos que demonstraram proteção de 93% contra a dengue grave e redução de 80% das internações pela doença.

  • 16. Quem for vacinado corre o risco de pegar dengue e o quadro se agravar (dengue grave)?

    Não. A vacina protege contra os quatro tipos de dengue que circulam no país e, em média, garante proteção de acima de 66% às pessoas vacinadas. Durante os 20 anos de estudos de produção da vacina não foi registrado agravamento da doença nas mais de 29 mil pessoas vacinadas.

  • 17. Por que idosos e crianças abaixo de 9 anos não serão vacinados?

    Porque a vacina só está aprovada no Brasil para a faixa etária entre 9 e 45 anos.